Protocolo Eras diminui custos em 20%

Protocolo Eras diminui custos em 20%

Vantagens do protocolo Eras – que inspirou brasileiro Projeto Acerto – e protagonismo de anestesistas são demonstrados em pesquisas da Sociedade Americana de Anestesiologistas.

O protocolo ERAS é um conjunto de medidas adotadas no perioperatório de cirurgia para minimizar complicações. Desta maneira, reduz o tempo de internação. Os custos também foram reduzidos 20% por caso entre pacientes de cirurgia colorretal e bariátrica que foram submetidos ao protocolo Eras (Enhanced Recovery After Surgery) – que no Brasil inspirou o Projeto Acerto (Aceleração da Recuperação Total Pós-operatória) –, de acordo com uma pesquisa apresentada na reunião Practice Management 2018 da Sociedade Americana de Anestesiologia. Os pacientes também receberam alta precoce e precisaram de menos opióides no pós-operatório. Essa e outras pesquisas destacaram ainda o protagonismo da anestesia na cirurgia: otimização de custos e melhoramento dos resultados e da experiência cirúrgica para os pacientes, desde a decisão de operar até a alta, recuperação e pós-operatório.

A empresa Providence Anesthesiology Associates, em Charlotte, Carolina do Norte, nos Estados Unidos, comparou os resultados de 621 pacientes submetidos a cirurgia colorretal ou bariátrica, que participaram de um programa com protocolo Eras, com dados históricos de antes da implementação do protocolo. Pacientes colorretais que estavam no grupo tratado com o protocolo Eras permaneceram no hospital 2,05 dias em comparação com 4,5 dias para pacientes que não foram tratados com o mesmo protocolo.

Pacientes bariátricos do grupo Eras ficaram 0,95 dias versus 2,15 dias para pacientes não Eras.

Pacientes de ambos os grupos Eras usaram significativamente menos opióides após a cirurgia do que aqueles nos grupos não Eras e tiveram estadias mais curtas na unidade de cuidados pós-anestesia.

“Nossos resultados demonstram os benefícios de anestesiologistas e cirurgiões trabalhando em colaboração para reduzir os custos e melhorar os resultados dos nossos pacientes”, disse a diretora de Resultados Clínicos e Qualidade da Providence Anesthesiology Associates, Vicki Morton.

O protocolo Eras aplicado incluiu os seguintes elementos:

  • Educação pré-operatória do paciente, começando no consultório do cirurgião.
  • Administração de carboidratos na noite anterior à cirurgia e três horas antes do procedimento.
  • Administração de Alvimopan pré-operatório para restaurar a função intestinal após a cirurgia.
  • Uso de métodos anestésicos alternativos aos opioides, incluindo bloqueio do plano transverso abdominal para reduzir ou eliminar os opióides no pós-operatório.

Com informações da assessoria de imprensa da Sociedade Americana de Anestesiologistas.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.