Diretrizes Internacionais da OMS para Prevenção de Infecção no Centro Cirúrgico

Diretrizes Internacionais da OMS para Prevenção de Infecção no Centro Cirúrgico

A Organização Mundial da Saúde (OMS) possui um documento com 29 diretrizes para prevenir a infecção no centro cirúrgico. Entre elas, estão as orientações de que o paciente tome banho ou ducha, e não mais apenas remova os pelos, antes da cirurgia, e tome antibióticos antes e durante o procedimento – e não depois. 

Lançadas em novembro, as orientações perioperatórias visam a reduzir a proliferação de micro-organismos causadores de infecções e as consequentes perdas humanas e financeiras. 

Perdas: Segundo a OMS, em países de baixa e média renda, como o Brasil, 11% dos pacientes cirúrgicos são infectados durante o procedimento. Um estudo-piloto realizado em quatro países da África demonstrou que as infecções cirúrgicas poderiam ser reduzidas em 39% se aplicadas algumas das novas recomendações. Mas o problema não atinge somente os pobres. Nos Estados Unidos, por exemplo, o custo das infecções hospitalares pode chegar a 900 milhões de dólares por ano. 

As medidas da OMS são adaptáveis à qualquer país. “Prevenção de infecção cirúrgica nunca foi tão importante quanto agora. Porém, é um tema complexo que requer várias medidas ligadas à prevenção. Acredito que essas diretrizes são uma ferramenta valiosa para proteger os pacientes”, diz a Dra. Marie-Paule Kieny, diretora geral adjunta para os Sistemas de Saúde e da Inovação da OMS. Saiba mais no site da ONU.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.