Capnografia em exame gastrointestinal

Capnografia em exame gastrointestinal

Estudo recomenda monitoramento com capnografia em exame gastrointestinal com sedação para ajudar a diminuir efeitos adversos e até morte

Mais um estudo conduzido nos Estados Unidos nos traz uma recomendação: o uso da capnografia pode reduzir o risco de efeitos adversos durante exame gastrointestinal com sedação, como endoscopia digestiva alta, colonoscopia e colangiopancreatografia retrógrada endoscópica.

Conforme sabemos, esses exames gastrointestinais são padrão no diagnóstico e na terapia de distúrbios gastrointestinais, mas podem causar muito desconforto ao paciente. Portanto, é comum o uso de sedação durante seu procedimento, o que, em alguns pacientes, pode resultar, conforme ressaltaram os pesquisadores ao site HospiMédica.com, em obstrução das vias aéreas induzida por medicamentos, depressão respiratória com hipoventilação e hipoxemia. “A capnografia para monitorar continuamente a frequência respiratória, a medida de CO2 no final da expiração e o padrão de forma de onda pode permitir a avaliação de ventilação em tempo quase real”, afirma o Dr. Michael Jopling, da NorthStar Anesthesia, principal autor do estudo.

Capnografia em exame gastrointestinal com sedação

É crescente a consciência de que em endoscopias e outros exames com sedação e a necessidade da presença de um anestesista são necessários todos os cuidados do pré-anestésico e do ato anestésico para a segurança do paciente e do estabelecimento prestador do serviço de saúde.

O estudo, que foi realizado por pesquisadores da NorthStar Anesthesia, empresa que oferece serviços de anestesia em vários locais nos EUA, do Centro Médico Regional Springfield e da Medtronic, analisou 4.065.413 pacientes submetidos a endoscopia com sedação – uma parte dos pacientes era ambulatorial e a outra em internamento. A conclusão foi que a capnografia está associada a significativas reduções no risco de eventos adversos farmacológicos em pacientes ambulatoriais e até de morte em pacientes internados.

Os exames gastrointestinais com sedação não costumam oferecer grandes riscos, no entanto, a recomendação do estudo ​pode prevenir problemas que podem custar muitos recursos que poderiam ser aproveitados de outras formas e, em alguns casos, até vidas.

Detalhes do estudo da capnografia em exame gastrointestinal com sedação

Os pacientes analisados pelo estudo foram separados em quatro grupos:

Grupo somente oximetria de pulso (SpO2)

Grupo somente capnografia

Grupo SpO2 com capnografia

Grupo nem SpO2 nem capnografia

​As medidas para os resultados foram a incidência de evento adverso farmacológico – definido pela administração de naloxona e/ou flumazenil – e a morte.

Os resultados revelaram que para pacientes internados a capnografia foi associada a uma redução estimada de 47% na probabilidade de morte e a uma redução estimada não significativa de 10% na probabilidade de evento de efeito adverso farmacológico.

Para pacientes ambulatoriais, a capnografia foi associada a uma redução estimada de 61% na probabilidade de evento adverso farmacológico e a uma redução estimada não significativa de 82% de risco de morte.

Com informações de HospiMedica.Com.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.