Ciclo circadiano influencia a cicatrização

Ciclo circadiano influencia a cicatrização

Ciclo circadiano do paciente poderá gerar mudanças em cirurgias, tratamentos e medicamentos

Ferimentos ocorridos durante o dia cicatrizam 60% mais rápido do que os ocorridos durante a noite. É o ciclo circadiano ou relógio biológico, no ciclo de 24 horas, que causa esse efeito.

Queimaduras, por exemplo, ocorridas à noite demoram, em média, 28 dias para cicatrizar, enquanto as ocorridas durante o dia levam 17 dias. No ciclo de 24 horas, a atuação dos fibroblastos sofre alterações e, à noite, essas células responsáveis pela cicatrização perdem capacidade de reação.

Durante o dia, os fibroblastos se movem mais rápido até o local do ferimento para repará-lo, porque as proteínas envolvidas no movimento e no reparo celular, especialmente a actina, também se movimentam mais rápido. Além disso, nas feridas diurnas há mais depósito de colágeno – que continua se dando após duas semanas da ocorrência do ferimento.

Fisiologia do ciclo circadiano e medicamentos

Não apenas as cirurgias, mas o desenvolvimento de medicamentos cicatrizantes pode ser influenciado pela fisiologia do ciclo circadiano dos pacientes. O Dr. Ned Hoyle, do Laboratório de Biologia Molecular da MRC e um dos principais autores da pesquisa, disse ao site da Universidade de Manchester: “O reparo eficiente da nossa pele é fundamental para a prevenção da infecção e, quando a cura não ocorre bem, as feridas podem se tornar crônicas ou ficar com muitas cicatrizes.

Pesquisas adicionais sobre o vínculo entre o ciclo circadiano e a cicatrização de feridas podem nos ajudar a desenvolver medicamentos que previnam a cicatrização defeituosa das feridas ou até nos ajudem a melhorar os resultados da cirurgia”.

Outro autor da pesquisa e cientista clínico da Universidade de Manchester, o Dr. John Blaikley, ressaltou que o trabalho demonstrou, pela primeira vez, a importância do ciclo circadiano na cicatrização de feridas: “Levando isso em conta, não só novos objetivos em relação a medicamentos podem ser identificados, mas podemos melhorar a eficácia das terapias já estabelecidas com a mudança do horário do dia em que elas são realizadas”.

Mais pesquisas sobre a influência do ciclo circadiano são necessárias

Os autores do trabalho afirmaram que são necessárias mais pesquisas para que os efeitos do ciclo circadiano humano sejam compreendidos e devidamente aplicados beneficamente na prática cirúrgica.

Para o Dr. John O’Neill, do Laboratório de Biologia Molecular da MRC e um dos principais autores do trabalho, o achado pode significar que o corpo humano evoluiu para se curar durante o dia, quando é mais provável que sofra feridas.

“Talvez o tempo de cicatrização possa ser melhorado se mudarmos o ‘relógio’ das células antes da cirurgia, talvez com o uso de medicamentos que redefinam o relógio biológico para o horário em que ocorra a melhor recuperação no local da cirurgia”.

Com informações de:
BBC Brasil
Manchester University

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.